Notícias

Médicos de UTI denunciam atraso de salário há 4 meses e boicote

As queixas de atraso no pagamento de salários a médicos que atuam nas Unidades de Terapia Intensivas (UTI’s) destinadas a pacientes com covid-19 são recorrentes. O recebeu novamente denúncia de profissionais que estão há quase 4 meses sem salário.

Os médicos foram contratados de forma temporária pela empresa Hipermed Servicos Medicos e Hospitalares S.A, que, por sua vez, presta serviços à Empresa Cuiabana de Saúde, ligada a Secretaria Municipal de Saúde.


Segundo um médico generalista o quadro é ainda pior. Ele contou ao , nesta sexta-feira (22) que os profissionais que cobram mais incisivamente o salário a que têm direito sofrem boicote. Eles são removidos da escala de plantão e não recebem o valor integral pela prestação de serviço.


“Isso já se tornou uma situação vexatória”, afirma o profissional que trabalhou nas áreas intensivas do Hospital Municipal São Benedito e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, referência para covid.


Ele não trabalha mais no São Benedito. Com a redução de casos da doença, alguns leitos foram desativados e os profissionais desligados. No caso do profissional, o contratante pagou apenas metade de agosto. Assim, falta a outra parte do mês e setembro. Porém há funcionários em situação ainda pior, com pagamento atrasado desde julho e sem perspectiva de regularização.


Além da retaliação sofrida, os profissionais que atuam na linha de frente contra a covid estão receosos de não receberem os salários após escândalo de corrupção na Saúde do município. Pelo menos 50 médicos estão na mesma situação.


A pasta já foi alvo de várias operações policiais que investigam desvio de recursos, superfaturamento, contratações indevidas e outras irregularidades durante a pandemia e antes dela.


A última ação, Operação Capstrum, afastou o prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) por esquema de “rachadinhas”, contratações indevidas de servidores e descumprimento de decisões judiciais.

 

Outro lado

A Prefeitura de Cuiabá foi procurada, mas não encaminhou resposta. Já as empresas Samallmed e Ultramed, ambas do grupo Hipermed, encaminharam as seguintes notas:


Notas de esclarecimento da empresa

 

A Smallmed Serviços Médicos & Hospitalares esclarece que o desligamento de alguns médicos do Hospital São Benedito deve-se a um ofício recebido da Secretaria de Estado de Saúde de Mato Grosso (SES/MT) notificando que devido à baixa da pandemia no estado, a partir do dia 10 de setembro de 2021 seria realizado o bloqueio de 60 leitos no âmbito da regulação, bem como a suspensão do confinamento estadual (Portaria 249/2020), publicada no Diário Oficial do Estado (nº 27.800), que regulamentou o custeio mensal de leitos de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) para atendimento exclusivo de pacientes Covid-19 em Mato Grosso.

É importante ressaltar que todos os médicos foram comunicados do desligamento, assim que a empresa foi notificada pela Empresa Cuiabana de Saúde Publica, tendo em vista que a própria Smallmed não teve uma prévia para o encerramento das atividades dos profissionais.

Ademais, desde o início desta semana, os repasses da Empresa Cuiabana já estão ocorrendo e sendo quitados os honorários médicos referentes ao mês de agosto do Hospital São Benedito.

 

Nota à Imprensa

A Ultramed Serviços Médicos e Hospitalares informa que os repasses aos médicos do Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá (HPSMC) está aguardando o pagamento das notas fiscais de julho (residual), agosto e setembro (completas). Do repasse de julho, apenas oito médicos ainda não receberam, devido ao recurso não ter sido feito na totalidade.

 

Quanto aos médicos das UPA´s e Policlínicas em atraso desde o mês de julho, foram feitos alguns pagamentos, porém, o contrato referente aos repasses não recebe pagamentos desde fevereiro de 2021.

 

Vale enaltecer que os médicos são cotistas e Pessoa Jurídica, duas modalidades de prestação de serviços. Conforme a Ultramed vem recebendo os repasses referentes a cada contrato, são efetuados os pagamentos dos honorários médicos.

A Ultramed informa ainda que continua atuando em Mato Grosso, inclusive com novos contratos, portanto, todos os profissionais de saúde que prestaram serviços podem ficar tranquilos que terão suas obrigações honradas tão logo sejam feitos os repasses por parte da Prefeitura Municipal de Cuiabá.

FONTE GAZETA DIGITAL