Notícias

Nove crianças desenvolveram síndrome rara associada à Covid-19 em Mato Grosso

Nove crianças desenvolveram síndrome rara associada à Covid-19 em Mato Grosso
Mato Grosso registrou nove casos da síndrome inflamatória multissistêmica pediátrica temporalmente associada à covid-19. A SIM-P é caracterizada por uma resposta inflamatória exacerbada que acontece dias ou semanas após a infecção pelo vírus. Grande parte dos casos evoluem para forma grave com necessidade de internação em unidade de terapia intensiva e podem evoluir também para óbito.


Das crianças que desenvolveram em Mato Grosso, três possuem idades entre 0 e 4 anos; três entre 5 e 9; duas entre 10 e 14; e uma entre 15 e 19. As informações são do Ministério da Saúde e constam no Boletim Epidemiológico 16 com dados coletados até 17 de abril de 2021.

O monitoramento começou em 24 de julho de 2020 pois durante o pico da pandemia no continente europeu, em abril, houve alertas em diferentes países sobre a identificação de uma nova apresentação clínica em crianças, possivelmente associada com à infecção pelo SARS-CoV-2.

Dentre os casos confirmados para SIM-P no Brasil, cerca de 28% apresentavam algum tipo de comorbidade preexistente e mais de 61% dos pacientes necessitaram de internação em unidade de terapia intensiva (UTI).

Os sintomas mais comumente relatados foram os gastrointestinais (dor abdominal, diarreia, náuseas ou vômitos) e estavam presentes em cerca de 79% dos casos, 57% dos pacientes apresentavam rash cutâneo, 40% apresentavam conjuntivite, 40% desenvolveram disfunções cardíacas, 35,4% tiveram hipotensão arterial ou choque e 30% dos pacientes apresentaram alterações neurológicas como cefaleia ou confusão mental.

Evidência de coagulopatia (por alteração do TP, TTPa ou D-dímero) esteve presente em 53% dos casos. Cerca de 68% dos pacientes apresentaram sintomas respiratórios, incluindo coriza, odinofagia, tosse, dispneia ou queda da saturação

FONTE OLHAR DIRETO