Notícias

Posição do SINDIMED frente ao relatório do TCE que contesta a frequência dos médicos no local de tra

Posição do SINDIMED frente ao relatório do TCE que contesta a frequência dos médicos no local de trabalho

O Tribunal de Contas de Mato Grosso divulgou nesta quinta (17) o relatório que avaliou a gestão da prestação dos serviços médicos no SUS Cuiabá.

O Sindimed vem à público declarar que já vem alertando desde o ano passado que a responsabilidade de garantir médicos nos postos de trabalho é da gestão municipal e que os baixos salários, a falta de segurança, estrutura física, além da falta de medicamentos e exames contribuem decisivamente  para o absenteísmo.
O relatório constata "a insuficiência de médicos na atenção primária, motivada por fatores que reduzem a atratividade da rede pública para os profissionais da categoria".
Foi amplamente divulgado pela imprensa um trecho do relatório que "médicos cumprem apenas 43% da carga horária", apesar de sermos contrários às faltas injustificadas, encontramos falhas no relatório, inclusive apontadas pelos próprios auditores, que nos levam a questionar alguns resultados.
Também é oportuno apresentar que nas UPAS e Policlínicas atestaram o cumprimento de 100% da carga horária pelos médicos e não obstante as pessoas demoram 2 a 6 horas para serem atendidas, comprovando a insuficiência de médicos nesse local diferentemente do que foi alegado pela gestão da SMS na auditoria.

Em coletiva de  imprensa  foi apresentado a posição do SINDIMED-MT em defesa da categoria médica.