Notícias

Empresa denuncia dívida de R$ 2,4 mi em hospitais e ameaça parar atendimentos

A empresa que presta serviços médicos para o Hospital São Benedito e o Hospital Municipal de Cuiabá (HMC) afirma que a Prefeitura de Cuiabá deve R$ 2,48 milhões de pagamentos aos profissionais. Pela falta de pagamentos, desde o início de dezembro a empresa paralisou os atendimentos eletivos no HMC, atendendo somente os casos de urgência e emergência. Existe ainda a possibilidade de paralisação total dos serviços por falta de profissionais.

 

Segundo a LB Serviços Médicos LTDA, já são 6 meses de atrasos nos pagamentos referentes aos serviços no São Benedito, gerando uma dívida de R$ 1.030.348,02 e 9 meses sem repasse para os atendimentos no novo Pronto-Socorro, somando R$ 1.453.489,16.

 

Essa não seria a primeira que os pagamentos atrasam. Em outros momentos do contrato foram realizadas paralisações e adiamento de procedimentos por causa dos atrasos nos repasses.

 

São mais de 40 médicos que prestam atendimento em turnos de 24 horas nas duas unidades e, pela falta de repasses, também estão com salários atrasados, chegando a 6 meses sem receber. Alguns deles já notificaram a empresa que não vão mais atuar nos atendimentos aos hospitais.

 

Do outro lado da balança, a prefeitura recebeu recursos emergenciais para o combate à pandemia da covid-19. Foram, até dezembro de 2020, R$ 501.045.513,59 do Fundo Nacional de Saúde, dos quais sendo R$ 283.899.841,04 foram destinados à média e alta complexidade ambulatorial e hospitalar.

 

Outro lado

Por meio da assessoria de imprensa, a Empresa Cuiabana de Saúde Pública informou que está tomando as medidas necessárias para regularizar os pagamentos junto à empresa prestadora de serviços médicos até a próxima terça-feira (12).


"Imperioso salientar que todo início de ano registra-se atraso dos repasses referentes ao teto de Assistência Ambulatorial de Médio e alta Complexidade (MAC) ao Município o que impacta diretamente na quitação de despesas, acarretando em déficit para área", diz trecho da nota.

Fonte GAZETA DIGITAL